sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Abismo

Me perdi em meio as nossas controvérsias. Sua falta de ação e timidez me preencheram de tal modo que a incerteza falou mais alto. Lamento não poder voltar atrás para redesenhar nossa vida repleta de sentimentalismo e dúvidas. Sei que se você pudesse faria o mesmo, está escrito no seu olhar toda vez que um silêncio nos preenche depois de uma piada com palavras que se fossem ditas sem o humor, seriam uma bela declaração de amor. Talvez se não fôssemos tão medrosos e nos encarássemos ao invés de olhar para o chão como quem espera uma resposta que nunca virá, estaríamos mais felizes agora com nossos lábios unidos e seu calor penetrando em minha pele mais intenso do que quando nossas mãos estão coladas umas as outras. Como se não bastasse as barreiras invisíveis existentes entre nós, há ainda ela que sonha com você e o ama tão loucamente como eu. Ou mais. Seria bem mais fácil se não a víssemos morrer toda vez que ela me vê com você ou se eu não morresse toda vez que os olhos dela brilham e ela espera, com o coração acelerado, uma declaração sua. E nós duas vamos ressuscitando e mesmo sem querer, sobrevivendo. E você vai partindo, mesmo sem perceber, dois corações que já não são tão puros, corrompidos pelo calculismo e pela frieza que faz parte do mundo em que vivemos. A medida que o tempo vai passando, vamos ficando mais gastos pela poeira tóxica que sai de nossas almas e pela velhice precoce, nosso abismo vai se alargando devagar e vamos percebendo que a distância entre nós já é enorme. Tentei ultrapassá-la, usando minha paixão ardente e a pouca coragem que me resta, só que, mais uma vez, acho que morri tentando.
E dessa vez, eu não sobrevivi.

7 comentários:

Fernanda Cristina disse...

"A medida que o tempo vai passando, vamos ficando mais gastos pela poeira tóxica que sai de nossas almas e pela velhice precoce." Acho que nessa parte você descreveu tudo o que eu sinto, ou pelo menos já senti em algum momento da minha vida. Lindo texto Kênia. Continue assim, continue tentando e com certeza, você vai sim, sobreviver.

Léo. disse...

Não morreu não porque antes de voce cair no abismo eu estaria lá do outro lado para de estender a mão. Fica beem, Kê.
Belo texto.

*MaяiH* disse...

Lindo o texto, mas eu tenho um melhor: http://marih-escritora.blogspot.com/2009/10/abaixo-os-olhos-e-perguntome-desculpa.html .Lê ele, por favor.
bjos.

G. disse...

É confuso, é triste, é frio e é passageiro. De uma forma ou de outra, vai acabar e eu espero de verdade que seja do modo bom.
A coragem que nos falta não é fácil de ser encontrada, mas quando a encontrar é fácil fugir do precipício. Você faz muito certo de escolher morrer tentando que é bem melhor que a decepção de nunca ter tentado.
E vai chegar a hora que toda sua esperança vai se renovar e sua coragem vai voltar. É aí que você sobrevive.

Léo. disse...

Kê, tudo isso que sentimos e sofremos não é em vão. Acredite. E você não foi fria por não dizer nada, só saber que voce esta lá, lendo e se preocupando com o que eu escrevo ja ajuda muito! Obrigado.

Anônimo disse...

ô Gatinha.
Larga de ser dramática.
;D
Eu te amo, mas as vezes voce me assusta. :/
hsaushaus,
Bjao, Yule

Gabs disse...

curti mt o blog, estou seguindo, se quizer visite o meu *-* abraços
http://sentidozero.blogspot.com/